Há algumas semanas, uma notícia envolvendo o e-commerce brasileiro foi amplamente divulgada na mídia nacional. Segundo as matérias, os atrasos atingem 30% das entregas de produtos no Brasil.

Esse dado infelizmente não impressiona a maior parte dos consumidores. Se você fizer uma pesquisa rápida com os seus conhecidos, alguns deles certamente vão afirmar que já tiveram dificuldade para receber suas compras.

Apesar de comum, essa questão torna-se problemática para os e-commerces no Brasil, mesmo que a culpa não seja deles! Os lojistas se empenham em fazer todo o processo de entrega o mais rápido possível, logo que o pedido é liberado pelo site. Porém, a falta de infraestrutura logística no país e o nível de serviço dos Correios e das transportadoras é que deixa o consumidor na mão. Mesmo assim, é a loja virtual que se responsabiliza, afinal de contas é o nome dela que está na caixa.

Esse problema é ainda maior em determinados estados.

No Rio de Janeiro, por exemplo, quase 40% dos CEPs da capital e da região metropolitana não podem receber as suas encomendas, por conta dos furtos e da violência.

O estado do Rio de Janeiro está perdendo participação na fatia de destino de venda do e-commerce. Segundo o Vice-Presidente da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), Rodrigo Bandeira, esse número caiu de 14% para 9,5% de 2014 para 2017.

O e-commerce brasileiro faturou mais de 45 bilhões de reais em 2016.

Desse montante, 60% vêm da região sudeste. Se nos próximos três anos essa fatia diminuir e o Rio de Janeiro continuar perdendo participação de 5% (que foi o que aconteceu entre 2014 e 2017), como será o futuro?

O resultado final disso tudo acaba sendo um grande prejuízo financeiro e quem paga a conta são as lojas virtuais.

Mas o que fazer para essa situação não piorar e o e-commerce brasileiro ter esse rombo financeiro causado pela falta/atraso de entregas? Na nossa percepção, diversas áreas precisam de atenção. É uma questão de violência, que precisa ser solucionada pelos governantes. São os Correios, que precisam urgentemente melhorar os seus sistemas. Porém, além disso, também acreditamos que os empreendedores de plantão precisam criar soluções inovadoras para esse problema.

Estima-se que cerca de 15% da população brasileira tenha realizado pelo menos uma compra em 2017. Isso é o equivalente a 25,5 milhões de pessoas. Imagine como seria interessante se uma solução beneficiasse tanta gente?

A notícia boa é que existem sim algumas soluções que podem diminuir todos esses problemas de logística no e-commerce brasileiro. Um estudo realizado pela MindMiners e pela Shopper Vista chegou à conclusão de que o sistema de Clique e Retire é uma excelente solução para esse problema.

Os consumidores estão começando a se adaptar à possibilidade de comprar pela internet e retirar os produtos nas lojas físicas ou nas transportadoras. No caso de as lojas virtuais não terem estabelecimentos físicos numa determinada cidade, a solução é contar com parceiros de pontos de retirada.

Nós da Send4 temos a missão de tornar o sistema de logística no Brasil mais acessível aos consumidores. Para isso, estamos trabalhando diariamente para tornar o sistema de pontos de retirada uma realidade no maior número de cidades do país.

Quer saber mais sobre esse trabalho e adotar essa funcionalidade na sua loja? Então clique aqui.

Deixe uma resposta