A ascensão do comércio eletrônico é excelente para os consumidores, que conseguem comprar em poucos cliques o que quiserem, do conforto de suas casas. Inclusive, em meio à crise financeira (da qual o Brasil se recupera aos poucos), ter a possibilidade de pesquisar e comprar online é ótimo para quem precisa economizar.

Porém, todas essas mudanças deixam um grupo de pessoas pra lá de ansioso: os varejistas físicos. Enquanto os números do e-commerce crescem, os das lojas de shopping e de rua caem. Mas será que esse é o fim das lojas físicas?

Nós acreditamos que não! As lojas físicas ainda vão continuar existindo por muito tempo no Brasil e no exterior. Porém, elas precisam se adaptar à nova realidade do mercado. Em vez de enxergar o e-commerce como inimigo, os varejistas devem é se moldar a esse momento mais tecnológico, sempre tendo o cliente como foco principal.

Separamos algumas dicas que vão fazer com que os varejistas ganhem de 7×1 do temido momento de crise das lojas físicas. Olha só:

1- Busque a qualidade

Os empreendedores de sucesso precisam encarar a crise como uma oportunidade para desenvolver o negócio. Que tal aproveitar esse momento para desenvolver o seu estabelecimento? Quando uma loja está muito cheia e o volume de vendas é altíssimo, é difícil fazer coisas diferentes. Como o foco principal é entregar para o cliente, a inovação acaba ficando para depois.

Com a crise — e consequentemente o pouco movimento — aproveite para focar em qualidade. Invista em coisas novas e fale com fornecedores diferentes. Além disso, gaste um tempo olhando para empresas que têm o mesmo perfil que a sua, mas que são de fora do país. Dessa maneira, você pode se inspirar com pessoas que estão encarando o negócio sob uma outra perspectiva.

O resultado disso tudo será uma loja muito mais inovadora e que se diferencia da concorrência.

troque fácil e aumente a retenção do seu e-commerce

2- Foque no omnichannel

Se por um lado os gráficos do varejo despencam, os do e-commerce crescem ano a ano. Sabendo disso, que tal focar numa estratégia de omnichannel? É hora de levar a sua loja física para o online, pensar em estratégias digitais e novas formas de vender para o consumidor.

Isso não significa que a sua loja de shopping ou de rua precisa fechar, mas sim se adaptar. O consumidor de 2018 é totalmente multicanal. Ele vê a propaganda de um produto na internet e vai na loja física para conferi-lo de perto. Enquanto está no estabelecimento, pega o smartphone e joga o item no Google, para saber o que dizem sobre ele. Apenas depois de tudo isso decide se vai comprar a mercadoria e escolher se prefere adquiri-la de maneira online ou offline.

O omnichannel já é o presente das lojas brasileiras. Ficar fora dessa significa deixar a sua loja física morrer.

seja um ponto de retirada da maior plataforma omnichannel do brasil

3- Ative antigos clientes

Sabe aqueles clientes fiéis, que tinham o hábito de comprar na sua loja? Esse é o momento de reativá-los. Entre em contato, ofereça promoções exclusivas, entenda quais são as suas necessidades. Uma conversa franca com quem é de confiança, neste momento, pode ajudá-lo a desenhar como será a sua loja do futuro. Além disso, peça para que esses consumidores mais antigos indiquem novos clientes! Esse pode ser um canal para você alcançar pessoas novas para o seu negócio.

Tenha em mente que os consumidores adoram ajudar as marcas a se desenvolverem. Inclusive, muitos deles se sentem especiais por serem acionados na construção de novas estratégias para as empresas que admiram. Aproveite-se desse fato!

4- Use novas ferramentas

Procure ferramentas que podem deixar o seu negócio ainda mais eficiente.
Algumas delas que podem melhorar o empreendimento:

a) CRM
O CRM (Customer Relationship Management) é um tipo de software que coleta dados sobre os clientes. Ter essas informações em mãos é excelente para o varejo, que consegue criar soluções mais efetivas e personalizadas para os consumidores.

b) ERP
O ERP (Enterprise Resource Planning), que também é chamado de Sistema de Integração de Gestão Empresarial tem como objetivo integrar em um único sistema todos os dados e processos de uma empresa.

Você também pode investir em outras ferramentas para deixar o ponto de venda mais moderno e atrativo para o consumidor. O importante é usar esse momento para inovar.

5- Aumente o valor percebido pelo cliente

Será que o valor que você pratica na sua loja realmente é atrativo para o consumidor? Nesse período de crise do varejo, procure reavaliar os itens da sua loja. Existe um termo chamado “valor percebido pelo cliente” que se refere à percepção que um determinado cliente tem a respeito de um item que vai comprar. Às vezes, ao ouvir o preço cobrado, ele pode achar que o produto é muito caro, por não conseguir enxergar de verdade as vantagens oferecidas pelo item. O caso contrário também pode acontecer. Uma pessoa descobre o preço e fica chocada por algo que parece caro ser tão acessível.

Reavalie o valor percebido pelos clientes do seu varejo. Analise se alguns itens não devem custar menos, o que atrairá mais consumidores. Veja também se determinados produtos podem ser mais caros, o que melhora a sua margem.

6- Reposicione a sua marca

A correria do dia a dia faz com que muitos empreendedores deixem o posicionamento da sua loja para depois. Nesse contexto, acabam ficando desatualizados e sem competir com os estabelecimentos que aparentam ser mais inovadores. Para ganhar de 7×1 nessa crise, invista num bom profissional de branding e comunicação. Essa pessoa pode te ajudar a ver o que ainda funciona na sua marca e o que precisa ser refeito.

Esse reposicionamento pode ser um ótimo atrativo para clientes antigos e novos compradores curiosos!

7- Otimize processos e reduza custos

Em momentos de crise é importante reduzir custos. Uma maneira de fazer isso e ainda aprimorar a empresa é rever os processos da organização. Para isso, mapeie todos os processos e métodos de trabalho da sua loja. Avalie quais são as ineficiências, gastos desnecessários e problemas que podem atrasar o seu desenvolvimento.

Ter essas informações são a base para entender o que precisa de atenção. No final do processo, você terá uma empresa mais eficiente e uma diminuição nos custos, o que é fundamental para um momento em que o varejo tradicional está em crise.

 

automatize o processo de logística reversa

Deixe uma resposta